Poesia

Poesia

Nasceu em Lisboa a 1 de agosto de 1928 e faleceu a 11 de novembro de 1953, com apenas 25 anos, vítima de tuberculose.
Frequentou o Ensino Técnico por imposição familiar, no entanto,  é no área da literatura que se destaca, em particular na Poesia.
Após a cisão entre o Grupo Surrealista de Lisboa e Os Surrealistas, António Maria Lisboa integra o grupo dissidente.
Com Mário Cesariny escreve "Afixação Proibida" um importante manifesto do surrealismo português, onde se expõe a ideia de Poesia e a ligação desta com o Poeta e a Sociedade.
Acreditou convictamente no Surrealismo e na Poesia como símbolos de liberdade, como se pode depreender da sua escrita, que se caracteriza por uma particular singularidade esotérica e ocultista, inserida no movimento surrealista.
Apesar da sua breve existência física António Maria Lisboa criou com a obra um marco na literatura portuguesa.

 

Conjugação
Para o A. Cruzeiro Seixas
A construção dos poemas é uma vela aberta ao meio
e coberta de bolor
é a suspensão momentânea dum arrepio num dente fino
Como Uma Agulha

A construção dos poemas
[…]

Ler Mais
  • Local Biblioteca da Fundação Cupertino de Miranda

Notas

 

Informação do Catálogo:

 

Lisboa, António Maria, 1928-1953
Poesia / António Maria Lisboa; org. e apres. Mário Cesariny. - Lisboa: Assírio & Alvim,
2008. - 238 p.; 20 cm. - (Biblioteca Editores Independentes; 42). - ISBN 978-972-37-1324-4.
Lisboa, António Maria, 1928-1953 / Rimbaud, Arthur, 1854-1891 / Conde de Lautréamont,  1846-1870 / Monteiro, Adolfo Casais, 1908-1972 / Lima, Manuel de, 1918-1976 -- Portugal /  Literatura portuguesa -- Séc. 20 / Poesia surrealista -- Séc. 20 / Surrealismo português -- Séc. 20 / Cesariny, Mário, 1923-2006
2-D-63