Temporárias

Exposição "Só a imaginação transforma"

“Só a imaginação transforma” surge como elo de ligação para uma mostra expositiva que se revela ponto de encontro e diálogo entre trinta e três artistas, divulgando o carácter de cada um, com o destaque para algumas das suas obras.
Na organização desta exposição, com obras que fazem parte do acervo da Fundação Cupertino de Miranda, houve a intenção de mostrar um conjunto menos conhecido do público, destacando artistas que, de alguma forma, estão ligados ao Surrealismo Português.
A produção artística dos trinta e três artistas representados nesta exposição é extensa e muito relevante para a Arte Portuguesa, desde o início do século XX até aos nossos dias, mais de meio século volvido desde o término dos movimentos surrealistas em Portugal.
Encontramos esculturas, objetos, colagens, pinturas e desenhos, afirmando-se uma celebração conjunta da arte, das amizades e ruturas dos artistas: Alexandre O'Neill, António Areal, António Dacosta, António Maria Lisboa, António Paulo Tomaz, António Pedro, António Quadros, Cândido Costa Pinto, Carlos Calvet, Carlos Eurico da Costa, Cruzeiro Seixas, Escada, Eurico Gonçalves, Fernando Alves dos Santos, Fernando de Azevedo, Fernando José Francisco, Fernando Lemos, Gonçalo Duarte, Isabel Meyrelles, João Moniz Pereira, João Rodrigues, Jorge Vieira, Julio, Manuel D'Assumpção, Marcelino Vespeira, Mário Botas, Mário Cesariny, Mário Eloy, Mário Henrique Leiria, Paula Rego, Pedro Oom, Raúl Perez e Risques Pereira.
Uma exposição desta extensão, no que diz respeito ao número de personalidades, agrupa trabalhos complexos e críticos do Surrealismo em Portugal.
“Só a imaginação transforma. Só a imaginação transtorna.”, refere Mário Cesariny n’A Intervenção Surrealista, num “livre exercício do espírito”, em que toda “a imaginação é atuação do mundo”.

Ler Mais
  • Local Museu da Fundação Cupertino de Miranda
  • Data 3 de julho a 31 de outubro de 2020